Arquivo da tag: Fundação Catarinense de Cultura

Divulgação [3] – Clube do Livro Lygia Bojunga

Arte: Moysés Lavagnoli

 

O Clube do Livro Lygia Bojunga é uma atividade mensal ligada à Oficina Boca de Leão que ocorre na Biblioteca Pública de Santa Catarina.
Tem os seguintes objetivos:
– realizar a leitura de Lygia Bojunga;
– promover o encontro dos leitores;
– discutir sobre diversos aspectos das obras da autora;
– compartilhar experiências com outros;
– constituir um espaço de diversão e de laços de amizades.
Divulga o livro selecionado para o Encontro do mês de Abril de 2018.
Livro Tchau
Tchau reúne quatro narrativas densas, em que – no estilo habitual que já se tornou sua marca – Lygia transita com inteira liberdade entre o realismo e o fantástico. Aqui, ela nos fala de paixão, de amizade, de ciúme e da necessidade de criar.
Link da sinopse do site: http://www.casalygiabojunga.com.br/pt/obras.html
Foto: http://www.casalygiabojunga.com.br/pt/obras.html

O encontro ocorrerá no Auditório da Biblioteca, das 19h às 21h.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail evandroduarte@fcc.sc.gov.br ou telefone (48) 3665-6422.

A Biblioteca Pública de Santa Catarina está localizada na rua Tenente Silveira, nº 343, no centro de Florianópolis.

Post escrito por Evandro Jair Duarte

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Clube de Leitura, Clube do Livro Lygia Bojunga, Divulgação

Encontro [1-2018] – Abertura

Arte: Lucas Prisco

 

No dia 3 de abril de 2018 às 16h iniciou a Oficina Literária Boca de Leão (OLBL) do ano de 2018 com a Escrita Criativa. Proposta esta que objetiva iniciar os participantes na arte da escrita, assim como soltar a mão para o registro das palavras.

 

No presente ano, a OLBL terá um formato compacto para o seu desenvolvimento, sendo dividida em 2 momentos: Abril – com o exercício da Escrita Criativa; Julho – com o exercício da Escrita de Contos.

 

Todos os encontros são gratuitos e acontecem no Auditório da Biblioteca Pública do Estado de Santa Catarina (BPESC).

 

O horário é das 16h às 18h.

 

A regularidade dos encontros é semanal, decorrendo apenas para o mês de Abril.

 

A carga horária da Oficina é de apenas 12h no total, sendo executadas atividades presenciais e virtuais (pelo envio de e-mails aos participantes exercitarem em casa).

 

Ao pensar em trazer as atividades da OLBL do período noturno para o vespertino, confesso que pensei que iria ter pouca adesão. Para minha surpresa a procura foi grande. O que nos faz pensar em testar, também, o período matutino em algum momentos dos próximos anos.

 

Assim sendo, Eu, Evandro Jair Duarte, coordenador e ministrante da OLBL, iniciei o Encontro de Abertura com uma breve apresentação de minha pessoa e com os recados necessários para o andamento das atividades ao longo do mês.

 

Apresento-me também a você que nos lê. Sou natural de Florianópolis (SC), nasci em uma maternidade da ilha e fui criado em Governador Celso Ramos (SC), município da Grande Florianópolis (SC). Tenho o Curso Técnico em Contabilidade e o Técnico em Processamento de Dados. Sou graduado em Biblioteconomia – Habilitação em Gestão da Informação (UDESC). Especialista em Gestão da Informação e Inovações Tecnológicas (FACINTER/IBPEX). Mestre em Ciência da Informação (UFSC). Doutorando em Ciência da Informação (UFSC). Tive a oportunidade de pesquisar na Graduação a promoção e incentivo à leitura, um estudo multicaso (biblioteca escolar pública e privada). Na especialização analisei a gerência de documentos de cartório, um estudo de caso. No mestrado analisei a Dimensão Estética da Competência em Informação de bibliotecários de Biblioteca Pública, um estudo de caso. No Doutorado trabalharei com a Teoria do Efeito Estético e a Biblioterapia, projeto ainda em elaboração. Cursei uma disciplina, durante o mestrado, no Programa de Pós-Graduação em que a Professora utilizou fortemente a Escrita Criativa. Participei de um curso de Escrita Criativa na Barca dos Livros com a escritora ganhadora do Prêmio Jabuti, Milu Leite. Participei do Curso de Escrita Criativa oferecido pelo SESC Prainha (Florianópolis-SC) com a ministrante Julie Fank. Assim, tudo que aprendo tento colocar em prática com os participantes da OLBL e tem funcionado bem.

 

Dos 30 inscritos apenas 18 estiveram presente. Esta prática é um fenômeno que daria uma boa pesquisa, descobrir os motivos pelos quais as pessoas se inscrevem em cursos, os motivos pelos quais elas desistem e, ainda, os motivos pelos quais os participantes frequentaram e terminaram a oficina. Mas, este é o meu lado pesquisador falando alto agora, vou deixá-lo de lado um pouco.

 

A OLBL foi apresentada por mim aos participantes do dia. Fiz um breve relato da origem da Oficina e da Atividade ser Permanente na BPESC desde o ano de 2016. Falei que o objetivo principal da OLBL é trazer um contato inicial com a leitura e escrita, que a Escrita Criativa propicia momentos de produção textual que envolvam mais o lado pessoal dos participantes até o momento em que se abre para outras práticas da escrita (contos, poesias, crônicas, romances, …).

 

Iniciei a leitura de um texto do livro “Escrevendo com a alma: desperte o escritor que há em você” da autora Natalie Goldberg. O capítulo intitulado “Papel, caneta e a mente do iniciante”. Texto em que gostosamente a autora fala de sua experiência em trabalhar com a escrita criativa com seus alunos. Menciona a escolha da caneta e do caderno para o trabalho de escrever. Um texto muito instigante e provocador de sentidos.

 

Na sequência, realizei a primeira provocação. Os participantes receberam uma atividade de escrita para ser executada em apenas 10 minutos. Um simples exercício de descrição de uma rotina pessoal. Terminado o tempo, foi o momento de socialização. Todos os que se sentiram confortáveis para ler puderam apresentar seus textos aos demais. Digo que foram produções muito boas. Particularmente gostei de todos.

 

Gosto de ver quando há entrega. O resultado é tão bom, tão encantador! É isso acaba por compensar cada segundo dedicado a ministrar esta Oficina.

 

Em seguida, realizamos outra atividade de escrita, com mais 10 minutos. Agora com a prática de escrever uma memória. O resultado foi emocionante, rico e engrandecedor.

 

Terminamos o dia com o dever cumprido e, eu fiquei cheio de alegria de ver no rosto de cada um a alegria de estar ali. Gostei muito de ver as reações dos ouvintes quando um dos colegas liam o que escreveu no Encontro.

Foto – Encontro dia 3 de abril de 2018

Fonte: Evandro Jair Duarte.

 

Estiveram presente:

Evandro Jair Duarte – coordenador e ministrante

Amanda Ballico Zanatta

Walkiria Oliveira Marques da Cunha

Ana Claudia Machado

Maita M. S. Angelo

Cecília Torres

Beatriz M. S. Rohde

Regina Borges Gonzaga

César Eduardo Sturmer

James Raymundo Menezes de Carvalho

Sônia Conceição Mendes

Marta Betelli

Laiz Regis d’Ávila

Teyde Regis d’Ávila

Gabriel Roberto Caripuna

Ana Lívia Meira Pereira

Amanda Laís de Almeida Maria de Fátima Costa

 

 

Post escrito por Evandro Jair Duarte

Deixe um comentário

Arquivado em Escrita criativa, Exercício, Oficina de escrita

Divulgação [2] – Inscrições Encerradas

Arte: Lucas Prisco.

Prezados, informamos que as inscrições foram encerradas no dia 9 de março de 2018.

Durante toda a semana as vagas disponíveis foram preenchidas.

Agradecemos a todos pelo interesse.

 

Aos inscritos, dia 3 de abril estaremos todos reunidos às 16h no auditório da Biblioteca Pública do Estado de Santa Catarina, Rua Tenente Silveira, n. 343, no Centro de Florianópolis (SC).

 

Post escrito por Evandro Jair Duarte.

Deixe um comentário

Arquivado em Divulgação

Divulgação [1] – Abertura de Inscrição OLBL – Vagas limitadas

OFICINA GRATUITA

Estão abertas as inscrições para a Oficina de Escrita Criativa para iniciantes na escrita!

Local: Biblioteca Pública do Estado de Santa Catarina.

Horário: 16h as 18h

Início: 3 de abril de 2018

Término: 24 de abril de 2018

Todas as terças-feiras do mês de abril.

Vagas limitadas!

As inscrições irão até 09-03-2018. Restam poucas vagas.

Informações: (48) 3665-6422

 

Mais informações no link abaixo:

http://www.fcc.sc.gov.br/bibliotecapublica//pagina/21080/inscricoesparaoficinaliterariainiciamnaproximasegunda-feira

Deixe um comentário

Arquivado em Divulgação

[Divulgação 38-2017] – Mesa Redonda com Escritoras

Convite

A Oficina Literária Boca de Leão convida a todos para participar do encerramento do ano letivo com a MESA REDONDA LITERATURA E PRODUÇÃO LITERÁRIA. As escritoras Ana Esther Balbão Pithan, Kátia Rebello, Patrícia Núbia Duarte e Príncia Béli irão falar de suas experiências com a literatura e a escrita.

Venha conversar com elas!

Para conhecer um pouco de Ana Esther Balbão Pithan, veja o Link do Encontro realizado com ela na Oficina Literária Boca de Leão ou o Link do Blog Pelicana Esther.

Ana Esther Balbão Pithan.

 

Para saber mais sobre a Kátia Rebello, veja o Link do Encontro realizado com ela na Oficina Literária Boca de Leão.

Kátia Rebello

 

Venham conhecer Patrícia Núbia Duarte. Podem realizar a leitura do conto no E-book em que participou na UFSC. É natural de Giruá/RS. “Sempre incentivada por minha mãe, leitora contumaz, envolvi-me com a escrita tão logo aprendi a ler. Meus “diários” eram os livros de minha autoria. O amor  pela literatura e a vontade de aprender a escrever, levaram-me à Oficina Boca de Leão de onde pretendo nunca mais sair.”

Patrícia Núbia Duarte

 

Conheçam, também, Príncia Béli, autora do Livro Linda Liz.

Manezinha, escritora, gestora e terapeuta sistema. Lançou o e-book, com poesias, “Jardim de Curas”, 2014; publicou micro-contos no livro “A Ilha da Magia em 100 palavras”, 2015; e a poesia “Habitualidades” no Concurso da Editora Itacauinas, no livro “Antologia Literária -Versos Cotidianos”, 2015.

Príncia Béli

Após a fala delas e as perguntas do público, iremos lançar o E-book 15 Bocas de Leão, que ficará disponível no site da Biblioteca Pública do Estado de Santa Catarina para download gratuito.

 

Post escrito por Evandro Jair Duarte

Deixe um comentário

Arquivado em Contos, Divulgação, Encontro com Escritora

Divulgação 17-2017 – INSCRIÇÃO – Escrita de Contos – Oficina Literária Boca de Leão

Arte: Lucas Prisco

A Oficina Literária Boca de Leão tem como objetivo iniciar os participantes no processo de escrita para a liberação da criatividade textual. Conhecer gêneros literários. Estudar clássicos da literatura nacional e estrangeira. Oferece a oportunidade de estudar contos. Escrever contos curtos. Escrever um conto para compor o e-book anual da Oficina Literária Boca de Leão.

 

Ação gratuita e aberta à comunidade catarinense.

Faixa etária acima de 18 anos.

Data de início: 8 de Agosto de 2017.

Horário: das 19h às 21h

Local: Auditório da Biblioteca Pública de Santa Catarina

Para certificação é necessário ter o mínimo de 70% de participação e frequência.

Inscrições abertas de 17 a 28 de julho de 2017.  Clique aqui.

E-mail: evandroduarte@fcc.sc.gov.br.

Contato – Evandro Jair Duarte (48) 3665-6422.

 

 

Post escrito por Evandro Jair Duarte

Deixe um comentário

Arquivado em Contos, Divulgação

Divulgação 14-2017 – ENCONTROS DE JUNHO 2017

Arte: Lucas Prisco

 

JUNHO

6 – Gêneros Literários – Romance – Turmas A e B

13 – Gêneros Literários – Novela – Turma A e B – com a presença de Ana Esther Balbão Pithan – Exercícios práticos

20 – Gêneros Literários – Novela – Turma A e B – com a presença de Ana Esther Balbão Pithan – Estudos

27 – Clube do Livro Lygia Bojunga – A casa da madrinha

 

Post escrito por Evandro Jair Duarte

Deixe um comentário

Arquivado em Divulgação, Novela

Divulgação 9-2017 – ENCONTROS DE MAIO 2017

 

Arte: Lucas Prisco

 

MAIO

2 – Escrita Criativa – Prática – Socialização – Turma B

9 – Não Teremos Encontro

16 – Gêneros Literários – Crônicas e Poesias – Turmas A e B – Encontro com o autor Paulino Júnior

23 – Gêneros Literários – Poesia e Novela – Turmas A e B – com a presença de Milka Plaza Carvajal e Ana Esther Balbão Pithan

OBSERVAÇÃO: os certificados de ESCRITA CRIATIVA serão encaminhados por e-mail.

30 – Clube do Livro Lygia Bojunga – A bolsa amarela – Todos os interessados

 

Post escrito por Evandro Jair Duarte

Deixe um comentário

Arquivado em Divulgação, Escrita criativa, Oficina de escrita

Encontro 7-2017 – Clube do Livro Lygia Bojunga – ANGÉLICA

Arte: Lucas Prisco

No dia 25 de Abril de 2017 às 19h, reuniram-se no Auditório da Biblioteca Pública de Santa Catarina os participantes do Clube do Livro Lygia Bojunga para socializar a leitura da obra ANGÉLICA.

Participantes Presentes:

Evandro Jair Duarte – Coordenador do Clube do Livro Lygia Bojunga

  1. Ana Lúcia Kretzer Barotto
  2. André Lisbôa da Silva
  3. Cristina Hilgert Queiroz
  4. Daiane Alves João (Morghana)
  5. Juciléa Santos
  6. Maiara Corrêa
  7. Marli Emmerick Ferreira
  8. Nancy Enelia Fajardo Urazan
  9. Patrícia Núbia Duarte
  10. Príncia Béli (Coordenadora do Encontro)

 

Foto: site – http://casalygiabojunga.com.br/pt/obras.html

Texto de Abertura: Evandro Jair Duarte

 

Na sequência segue o texto de uma das participantes do Clube do Livro Lygia Bojunga.

Palavras da Escritora e Mediadora de Leitura Príncia Béli, com as impressões da Poeta Marli Emmerick, ambas construíram este registro:

 

Angélica.

Quando você não quer mais ser o que é  – dá pra mudar de nome, da cor do pelo?

Quando você não se conforma com o jeito que sua família vive – dá pra mudar a família? dá pra você mudar de família?

Quando você não arranja um trabalho – dá pra inventar um?

E, se você precisa vender um pedaço do seu corpo pra sobreviver – dá para ficar de bom humor?

Se você ficar velho e sozinho dá pra dar a volta por cima?

Estes sãos os questionamentos que Angélica de Lygia Bojunga trouxe ao Circulo de Leitura no mês de Maio.

Porto, o porco; Angélica,a cegonha; Canarinho, o elefante e outros personagens que falam com os seres humanos pipocam entre os encontros deles culminando na peça de teatro onde Angélica retrata seu conflito com a família sobre como se nasce, ou, “desnasce”.

Em paralelo a trama principal está o comportamento em grupo citado quando os macacos aparecem cirurgicamente ao longo da leitura para completo deboche de assuntos tão existenciais. Notamos, os leitores do Circulo, que a autora promove uma reflexão atual e universal. São assuntos permanentes e permeados pelo cotidiano humano. Ainda assim fica o ponto de interrogação sobre para quem e para qual idade ela quer revelar a forma de nascer e de conviver com as diferentes opiniões.

Como facilitadora e propondo o formato de oficina pude perceber o contexto no qual Lygia expressa suas inquietações ao trazer como pano de fundo  sua inteligencia constatada nas entrelinhas do texto; considerado para leitura do público infantil. Por isso, compreender o tempo (1975), a regionalidade brasileira e em especifico no Rio de Janeiro, a experiência da autora ser atriz de rádio e pelo fato dela e o marido fundarem a TOCA (escola rural) dá a nuance de sua escrita: a de bichos falantes interagindo com humanos em cenário ora urbano, ora em ambiente rural.

Por essas razões tem-se a narrativa diretamente ao leitor, a representação de sentimentos, um realismo mágico com contos fantásticos pontuando uma escrita com assuntos sérios de forma leve beirando ao tom de humor com algumas situações satíricas.

Quando o enredo trás Napoleão Gonçalves, um sapo viúvo que cuida de sete sapinhos, filhos seus com Mimi-das-Perucas, vitimada pela vaidade exagerada demonstrando a construção social de como a fêmea deve se apresentar bela e cuidada ainda que lhe custe a vida; ou a tônica do casal de crocodilos – Jota e Jandira, que viviam em constante atrito, gerando crises de espirros nela diante do machismo de Jota.

Os espaços sociais apresentados ao longo da historia também complementam a ideia de interação entre as realidades no qual o ser humano está inserido, tal qual os animais: a escola que inibe a personalidade de Porto; a agencia de emprego que recusa Canarinho, a principio, porque tem rugas; Napoleão Gonçalves que faz o eterno movimento de insatisfação ao trabalhar para arcar seu papel de provedor; o salão que faz a sapa Mimi das Perucas uma escrava da beleza e naturalmente do consumo. Em contra ponto a ideia de liberdade é vinculada à natureza na época em que Porto vivia num tronco de árvore,  bem como no mar sobrevoado por Angélica.

Outrossim, a narrativa lúdica promove o tom das possibilidades quando Porto presenteia Angelica com um bilhete-ideia apaziguando a angustia da ave sobre a mentira institucionalizada- “a de que Cegonhas dão a luz”. O conflito puramente interno para Angélica é a de que sua família insiste em manter tal ideia. Para a parentela afinal de contas qual o problema das pessoas pensarem assim e elas levarem a fama de benfazejas?

Os demais personagens se reúnem com suas idiossincrasias tendo em comum o fato de estarem desempregados. A esta altura da historia o coleguismo, o trabalho coletivo, a liberação catártica propiciada pelo teatro demonstra a superação dos problemas de forma individual, mas não solitária. O que proporciona um sentido à vida e na satisfação pessoal. Por exemplo, o momento em que Porto deixa de negar que é um porco permitindo que o nó do rabinho se desentorte liberando-o de seus medos; ou, quando a mulher de J passa a exigir que a chamem de Jandira (a crocodila que tem nome), pois apesar do machismo do esposo mau humorado por ter que vender pedaços de seu rabo, ela também tem voz e vez!

Uma forma brilhante que autora encontra no tocante de assuntos tabus trazendo a sua perspectiva reflexiva sobre sexismo e tantas outras estruturas comportamentais.

Assim, a leitura passa impressões existencialistas e que não promove lição de moral, mas expõe os conflitos sociais e individuais por meio de uma trupe de bichos que falam e se relacionam com os humanos. Cabe ressaltar que para alguns dos leitores esta mescla do fantástico com o mundo “real” é incomoda. Para outros, uma magia acontece a cada nova ação fantástica dos personagens.

O Circulo de leitura Lygia Bojunga ocorre uma vez por mês na Biblioteca Estadual de SC que propõe a leitura em ordem cronológica das obras. A facilitação de Angélica ocorreu por intermédio da escritora Príncia Béli, sob a coordenação de Evandro Jair Duarte. As impressões da participante Marli Emmerick também contribuíram para a construção deste registro.

Saudações,

Princia Béli

Terapeuta Integrativa

________________

55 (48) 9648-8919

(tim/ whats app)

skype:Atman Social

 

FOTOS DO ENCONTRO

 

Post Escrito por Evandro Jair Duarte, Príncia Béli Teixeira e Marli Emmerick.

Deixe um comentário

Arquivado em Clube do Livro Lygia Bojunga

Divulgação 7-2017 – ENCONTROS DE ABRIL 2017

Arte: Lucas Prisco

 

ABRIL

4 – Escrita Criativa – Prática – Socialização – Turma A

11 – Escrita Criativa – Prática – Socialização – Turma B

18 – Escrita Criativa – Prática – Socialização – Turma A

25 – Clube do Livro Lygia Bojunga – Angélica – Todos os interessados

 

Post escrito por Evandro Jair Duarte

Deixe um comentário

Arquivado em Divulgação, Escrita criativa, Oficina de escrita, Primeiras reuniões